Centro de Dia – História de sucesso

Três vezes por semana, ajudamos e convivemos com crianças do Centro de Dia de Santa Luísa de Marillac em Manjangue. O Centro de Dia é um centro dentro da escola de Santa Luisa Marillac onde estão 31 crianças doentes. Algumas com HIV/SIDA e outras com Tuberculose. Aqui, são disponibilizados medicamentos, refeições e todos os cuidados de saúde que a maior parte deles não têm em casa, possibilitando assim um modo de vida saudável.

Hoje, tivemos a oportunidade de ter um testemunho da mãe de uma criança que frequenta o Centro de Dia.  por privacidade, vamos chama-la de “Maria”. A Maria tem 6 anos. Mora com a mãe e o tio. O Pai é muito ausente e vive na África do Sul. Apesar de se encontrar actualmente em Moçambique, em breve voltará para a África do Sul onde trabalha. Quando a Maria tinha 3 anos, estava constantemente com uma tosse muito intensa, só conseguia parar de tossir se bebesse água.

Para acalmar a tosse, o médico disse que era necessário fazer uma operação, no entanto, os pais não conseguiam suportar os custos da operação. Com o passar do tempo, o corpo dela começou a ficar inchado. Era uma criança pouco sociável e não tinha acesso a alimentos diariamente. Neste período em que se encontrava mais doente, a única coisa que comia eram 3 ovos por dia. Não conseguia comer mais que isso. Tudo isto aconteceu enquanto estava na África do Sul.  

Em 2010, já em Moçambique, começaram a aparecer muitas feridas no corpo da Maria. Os pais levaram-na ao médico e foi-lhe diagnosticado “tuberculose” [na região, o estigma social contra o HIV leva a muitos diagnósticos da doença como “tuberculose”]. Começou a tomar medicação para esta doença. É neste Hospital que conhece a irmã Esperança, em Setembro de 2014. A irmã tratou de todos os procedimentos e inscreveu a Maria para o Centro  de Dia HIV, em Manjangue.  

Infelizmente, em Dezembro de 2014, a criança volta para a África do Sul. Enquanto lá esteve, começaram a aparecer-lhe problemas na boca: Dentes podres e gengivas inchadas. A irmã receitou um xarope e felizmente, este problema ficou resolvido de imediato. Em Abril de 2015 a família volta para Moçambique devido às dificuldades que se deparavam em receber os comprimidos a tempo da criança (a avó enviava medicamentos de Moçambique para a África do Sul) e a vida da criança encontrava-se em risco.  

A Maria volta para o Centro de Dia HIV definitivamente. Desde então, nunca falhou nenhum dia da medicação. A mãe afirma: “Ás vezes, na hora de tomar os comprimidos é a minha filha que me lembra de os dar. É visivelmente uma criança mais saudável, está gordinha e feliz.” Um outro aspecto excelente de estar no Centro de Dia é o facto de a Maria ter aprendido a falar Português [a população local desfavorecida tende a comunicar em changana, o dialecto local de Gaza não usado nas escolas]. Segundo a mãe, a Maria já não consegue dizer uma frase em Changana em dizer uma palavra em Português.   A mãe afirma que está muito contente por ver a filha saudável. “Volta a casa muito feliz, tem muitos amigos e é muito dedicada na escola. Ela própria tem a iniciativa de chegar a casa e estudar”.  

One comment

Leave a Reply to Um novo LAR para a Lavinesse – Histórias Um Pequeno Gesto Cancel reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s